X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

CFMRC - Centro de Formação, Mediação e Resolução de Conflitos

PREENCHER RELATÓRIO DE MEDIAÇÃO/CONCILIAÇÃO. E AGORA???? PARTE 1

Aprenda algumas técnicas valiosas na hora de preencher seu relatório depois ou na hora da sua audiência de Mediação ou Conciliação

Por Valda Maria Calderaro de Azevedo dia em Artigos

PREENCHER RELATÓRIO DE MEDIAÇÃO/CONCILIAÇÃO. E AGORA???? PARTE 1
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

O CFMRC é privilegiado por integrar em sua rede figuras importantes e renomadas na área de Resolução de Conflitos, Mediação e Conciliação.

Dentre os ilustres, alguns estão gatinhando como conciliadores ou mediadores em formação, certo???

Assim, resolvi dá uma ajudinha àqueles que estão em estágio supervisionado e apertados na hora de preencher o relatório de Conciliação/Mediação, padrão CNJ.

Mas atenção!!!!!!

As dicas abaixo não substituem, de forma alguma, a orientação do Supervisor/instrutor em Mediação e em Conciliação.

Então, Vamos fazer o RESUMO???

Primeiramente esclareço que o conciliador/mediador tem a flexibilidade no momento de elaborar o seu resumo e as orientações do seu supervisor/instrutor é fundamental.

Tenha em mente que, o resumo reenquadra, recontextualiza o conflito e durante essa fase, o facilitador inicia com a solicitação para que cada uma dos mediandos narre o que o trouxe à mediação. Tais informações são necessárias de forma que o resumo seja apresentado de uma maneira neutra e positiva para as partes.

O resumo feito pelo facilitador impõe ordem à discussão e serve como uma forma de recapitular tudo que foi exposto até o momento, portanto…

 PREENCHER RELATÓRIO DE MEDIAÇÃO/CONCILIAÇÃO. E AGORA???? PARTE 1

 

ESCUTE ATENTAMENTE as partes para que possa descobrir seus interesse, sentimentos e questões.

Pois bem…

Depois que você ouviu as partes, procure responder as seguintes perguntas:

 

1.       Qual o tipo de relação ou qual a origem da relação ou ainda, qual a descrição da relação? como tudo começou?

2.       Quais os aspectos positivos da relação? Você poderá usar essa informação para iniciar o processo de recontextualização, reenquadramento de forma positiva.

3.       Qual o momento em que o conflito ou o impasse teve início?

4.       Em que momento se iniciou os relatos e as dificuldades de comunicação? Aqui acrescente falta de informação, mau atendimento, agressões, ofensas etc.

5.       Você validou os sentimentos das partes?

6.       Detectou interesses vinculados aos sentimentos?

7.       Quais as questões identificadas?

8.       Encerrou o seu resumo perguntando se as partes estavam de acordo com a sua síntese? Perguntou se queriam que fosse acrescentado algo?

9.       Como organizou as questões? Montou uma agenda como sugestão?

Se faltar alguma informação, use perguntas abertas.

Depois das dicas…

Vamos fazer um resumo de acordo com as perguntas?

1.       Tipo, ou origem da relação:

A Sra. Maria repassou para o Sr. João um cheque no valor de R$ 100,00 ficando acordado que esse cheque poderia ser descontado em janeiro de 2016.

2.       Aspectos positivos da relação:

Inclusive, segundo o que vocês relataram, já haviam realizado outras operações financeiras antes e nunca tiveram qualquer problema…

3.       Momento do Conflito:

Entretanto, na data aprazada, o desconto do cheque não foi possível e o protesto do cheque foi realizado…

4.       Relatos de dificuldades de comunicação:

Na tentativa de buscar uma solução, vocês não estabeleceram uma comunicação que contemplou ou que expressou a expectativa de ambos.

Ou ainda …  (não foram relatadas dificuldades de comunicação) – Isso pode acontecer!!!

5.       Validação do sentimento:

Percebo que ambos ficaram irritados/magoados com a situação

6.       Interesses vinculados:

Pois o Sr. João deseja receber o valor pactuado e a Sra. Maria deseja pagar, porém de acordo com as suas condições financeiras.

7.       Questões:

Assim, temos as seguintes questões a serem tratadas:

1.       Falha na comunicação (se houver)

2.       Pagamento

3.       Protesto

        8. Encerramento:  perguntem aos mediandos

VOCÊS ESTÃO DE ACORDO COM A SÍNTESE DOS FATOS?

HÁ ALGO QUE QUEIRAM ACRESCENTAR?

8.       Organização das questões (agenda)

       Sugiro que comecemos a conversar pela questão da falha na comunicação, em seguida as demais questões.

Espero ter ajudado.

E não esqueçam de consultar seus Instrutores/Supervisores!

Valda Calderaro
Mediadora, Conciliadora
Instrutora em formação CNJ

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui: